sábado, 15 de março de 2008

VOCÊ É MINHA PAZ



Será que as águas mansas e doces
de um rio que encontrou o mar,
lutou para deixar sua doçura,
no meio de tanto sal?
Num mundo duro e cruel, onde a
brutalidade da vida deixa alguns
corações empedernidos e fechados,
será que você lutará para que a sua
doçura, o seu carinho e o respeito
ao próximo contagie as pessoas?
É mais fácil fechar o coração e
retribuir pedra com pedra,
desamor com indiferença;
mas, pessoas especiais como você,
vieram para fazer a diferença e
absorver o sal de cada lágrima caída,
com uma carícia, um beijo de mel
capaz de adoçar até a alma.
Por isto sofres, choras, apanhas,
mas não se renda nunca.
Perdoe sempre.
Sua sensibilidade conquista e
encanta o meu coração.
Poeta, você é a paz do meu amor.


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 16/01/2008
Código do texto: T820235

2 comentários:

Kalar disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Valdemar disse...

Belíssimo, um recanto de paz e serenidade e essa sensibilidade de mulher a nos afirmar que ainda há, na vida, uma razão para viver: o amor,a poesia e a alma feminina que é responsável pela beleza da mulher e pelos encantos do universo...