domingo, 28 de outubro de 2007

DELÍRIOS...




Naquela noite,
o champanhe gelado
e as taças de cristal
eram meros figurantes
do brinde apaixonado
de um amor desejado.
A bebida doce e quente
se fez presente quando
nossas bocas se encontraram,
e, entre sonhos e sinos,
o amor consciente,
enlouqueceu e a
magia surgiu;
saciados os desejos,
tomamos mais um gole
dessa bebida
doce e embriagante,
que nem de taças precisa...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 28/10/2007
Código do texto: T713201

HORA DE AMAR...



A tarde cai, avisando que
a noite está chegando.
Não se importe.
Esqueça das horas,
do relógio, do tempo.
Nossas almas se entendem
e sabem que este encontro
estava marcado no universo.
Demorou? Não faz mal !
Toda semente tem que germinar,
devagarzinho, despontar para vida,
e seguir seu curso até se tornar árvore,
amadurecer e frutificar...
Somos assim;
Por muito tempo sobrevivemos.
Fizemos da vida uma eterna busca
pelo amor verdadeiro.
Muitas emoções ficaram contidas,
guardadas como jóias no cofre trancado,
em que a chave estava em seu poder...
e agora libertas...
transbordam em meu ser,
pois chegaste no momento exato do
meu coração.
Hoje, não preciso de relógio...
dormindo, estás sempre comigo
e quando acordo, o tic tac em
meu peito me dá a certeza
que é hora de te amar...



Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 26/10/2007
Código do texto: T710773

UM BRINDE AO NOSSO AMOR !


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket






Sou um coquetel de emoções...
Bebo do mais puro mel
e embriago-me de teu amor.
Meu coração está alegre,
e se a lágrima teima em
rolar pela face é de pura
felicidade...
Tua voz me faz sonhar,
me vejo abraçada ao nada,
dançando sob a luz da lua...
Se chove, nem sinto frio,
pois o corpo está febril.
Esse amor aquece minh´alma,
incendeia o corpo e
te convida a tomar
comigo mais uma
taça de felicidade!


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 20/10/2007
Código do texto: T702988

SAUDADES...


O vento da saudade sopra.
Insone, te vejo em todas as direções...
O cobertor de amor de ontem,
hoje não aquece a minha noite,
e os abraços apaixonados
se perderam no ar,
onde estão tateando
à tua procura;
ainda sinto teu calor...
Como sobreviver sem
as lágrimas de muitos risos;
sem o carinho de teu aconchego;
sem o mel da tua boca;
e, sobretudo, com esta saudade
doída, que aperta o peito e
explode num grito louco,
a te pedir só mais uma vez:
_ vem me abraçar, Anjo meu?


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 15/10/2007
Código do texto: T695077

BRINCAR DE SER CRIANÇA !


Em meus sonhos de criança
sempre tive asas;
olhava o mundo lá do alto
e me via, na cama, dormindo...
Um sorriso enigmático de
quem entendia tudo,
mas não podia explicar...
e o vento, impaciente,
já me buscava,
guiando-me por mundos
fantásticos e desconhecidos.
Flutuava em nuvens de algodão
tão doces quanto meus sonhos;
os vagalumes, felizes,
iluminavam meu caminho...
em cada pouso,
um amigo abraçava!
E brincar de ser criança,
era o que eu mais gostava!


(Izabel Dias 06/10/07)
Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 06/10/2007
Código do texto: T683788

VOCÊ !!



Não importa se o sol brilha
ou se a noite se faz rainha,
com seu silencio,
você, estará, sempre, com a lira,
tocando lindas poesias.
Os aplausos, chegam
com os ventos uivantes de prazer.
As aves, em bando, mudam
sua rota, e, se dormindo,
acordam só pra te ouvir,
piando alegres em ecos da noite,
ou no calor do dia...
Você segue chorando na prosa,
sorrindo na poesia e não se dá conta
de que tua estrela é a mais brilhante...
Debruço-me na janela te olhando.
Perco-me no infinito de teu amor.
Te sinto nos versos enamorados
e na sintonia de nossas vidas...
Então, te toco, te beijo,
e você acorda, outra vez,
derramando poesias
por entre flores e amores....


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 30/09/2007
Código do texto: T674935

DANÇA COMIGO?





A música que está no ar
só os apaixonados
podem ouví-la...
Acordes perfeitos,
sintonia de corações...
Ouça-me sussurrando
aos teus ouvidos,
sou o teu amor...
Não quero pés pra dançar
flutuamos na emoção...
nas nuvens de sonhos,
em teus braços,
e no toque apaixonado,
onde os corações batem
em uníssono,
ao som do amor
esperado e desejado.
Não importa se a música
chegar ao fim,
nossos corações,
já sabem de cor,
então, vem...
Dança comigo?


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 19/09/2007
Código do texto: T660023

MINHA PRIMAVERA !






Sou como a planta do deserto
que, sedenta, espera a chuva,
e a demora, manda as folhas
embora com o vento,
deixando tão somente
o desejo de novas folhas...
O caule, solitário,
se curva aos ventos chorando,
mas não se entrega nunca.
Quando finalmente a chuva chega,
é como o amor...
A sede é saciada e a vida
renasce em brotos de esperanças
que florescem na primavera do meu ser.

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 16/09/2007
Código do texto: T654780

domingo, 16 de setembro de 2007

O AMOR DORME COMIGO...


Na cama imensa,
jogo o cansaço do dia,
e espalho lágrimas
de solitários sonhos,
onde nunca durmo só,
porque chegas quando
a cortina dos olhos
se fecham,
e no palco do
inconsciente,
sou a rainha soberana.
Minha alma
recebe-te, sedenta
de amor e carinho
e acorda,
saciada e feliz...
Ao lado da cama,
não estás, mas
o lençol amassado
e o cheiro de amor
me diz que
não sonhei...


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 09/09/2007
Código do texto: T645696

sábado, 15 de setembro de 2007

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

MAR DE DESEJOS









Quando cantas
o amor em versos,
no coração,
ouço aplausos;
e o corpo,
enternecido,
recebe a lágrima
de emoção, que,
como um rio,
chega ao mar
de desejos...
As ondas encapelam,
levando-me ao delírio,
e à vontade louca de gritar
o quanto eu gosto de você...
e que neste mar,
só você pode navegar,
pois sou ação e reação
ao que trazes,
meu amor,
ao coração.



Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 02/09/2007
Código do texto: T635075



C I Ú M E S"


C orrói como um ácido doce
I nstigando sentimentos ruins e fazendo
U m grande amor chorar e
M uitas vezes se perder no tempo
E ntre dúvidas cruéis e insanas.
S empre sofre o coração que o ciúmes sente.


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 20/08/2007
Código do texto: T615960

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

SUA FLOR






Na menina dos teus olhos
sou a flor,
a espera de teu néctar,
Meu Beija-flor...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 25/08/2007
Código do texto: T623766

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

ANJOS AMIGOS

orkut glitter graphics



Existem anjos que
despem-se de suas
asas pra estar entre nós,
como gente.
Com seu carinho,
traz a amizade,
o respeito e fazem
nossa vida mais doce.
Sofrem até mais
que humanos,
mostrando assim a
presença de Deus
em nossas vidas,
através da humildade.
Ficam durante o
tempo necessário
à sua missão e
quando chega a
hora de vestir as
asas e alçar novo
vôo para o lugar
onde é chamado,
deixam muitas saudades,
mas também a certeza
de que fomos abençoados
pela presença deste
anjo carinhoso,
que por onde for
levará a união e o
carinho, fazendo
sempre uma ciranda
de amigos...
Uma e (terna) amizade!



Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 21/07/2007
Código do texto: T573856

L Á G R I M A S




Castelos sólidos,
de bela aparência...
Suntuosas construções
cujas fundações se
alicerçam no mais
frio gelo, podem
resistir a anos,
alimentando em
seu interior
vidas geladas,vazias...
Ausência total
de sentimentos;
imperando tão somente
as aparências...
Medíocres conveniências!
Até que o anjo
da coragem chega
e o medo da vida
explode, sorrindo
para o desconhecido,
vertendo gotas dolentes
dos olhos confusos,
que não mais sabem
se são lágrimas do
degelo da vida,
de anos perdidos,
falta de amor,
indiferença,
ou se são da alegria
de acordar para
o sol interior e
para o teu amor...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 20/07/2007Código do texto: T572821

ESTÁ CHOVENDO AMOR!




Quando o barulho
dos raios e trovões
ecoaram no meu céu,
procurei abrigo da tempestade
anunciada nos sonhos.
Adormeci.
Acordei com o sol
em minha face e percebi,
exultante de felicidade
que a chuva não caiu
lá fora e sim,
aqui dentro...
Está chovendo amor...
Estou amando você!

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 03/08/2007Código do texto: T591612

terça-feira, 24 de julho de 2007

SEMPRE MENINA






Quando menina,
Com medo do lobo mau,
Quisera crescer
Pra ser igual a mim...
Ah! Se eu soubesse
Que crescer dói bem
mais que o medo
Que sentia...!!
Vou me esconder
da mulher de hoje,
e, sem medo,
encontrar-me
na menina que
ainda vive em mim...


Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 17/07/2007Código do texto: T568414

quarta-feira, 18 de julho de 2007

CORPO E ALMA



A noite alforria suas sombras,
E seus fantasmas,
Deixa minh’alma
em constante conflito
com meu corpo.
Ela sabe voar e ir
ao encontro da Paz;
Procura-te em sonhos
e consegue suprir a
necessidade de carinhos,
a falta que me faz...
Mas o corpo, obstinado,
perece na matéria do meu eu;
Teima em aprisioná-la,
torná-la escrava dos ciúmes.
Visões e sentimentos
se confundem.
Minhas idéias
lançam gritos de dor,
gotejam lágrimas sentidas,
transbordando o rio,
que se recusa a secar.
Talvez, fosse eu:
o etéreo...
a brisa que toca tua face,
ou a luz que ilumina
os teus dias,
e eu traria muita paz,
aqueceria tua alma,
seria o teu Sol,
O nosso calor...
Não veria mais o breu da noite
E estaria, pra sempre,
Aconchegada no teu peito...
Quanto a mim,
eu seria só AMOR.

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 01/07/2007Código do texto: T548501

NÃO SOU SANTA!!




Preciso gritar,
quebrar a imagem santa.
Virar tudo do avesso,
sem que me perca
de mim e de teu amor.
Sou como a lua,
tua amada, mas
tenho apenas uma fase,
Sou crescente...
A cada dia,
Sou paixão e desejo,
e não me escondo entre
as nuvens.
Não quero altar e
nem oração.
Vou soltar a outra
que há em mim...
Apresentar-te a “mulher louca”
Apaixonada e ousada,
Que domina sentimentos,
encharca tua visão de amor
E sem censura,
Rasga tua pele...
Te faz homem sem demora,
E a cada dia,Todo dia...
Rezarás comigo
O amor mais verdadeiro.
Sou a louca
e não a santa,
e meu altar,
é teu corpo,
Meu amor...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 24/06/2007Código do texto: T539511

domingo, 1 de julho de 2007

DESPEDIDA...



Somos viajantes.
Passageiros desta embarcação
chamada VIDA.
Faço dela,
minha alegria, mas
muitas vezes penso
na despedida...
Não quero desembarcar ainda,
Saltar tão cedo desta nau,
que, muitas vezes já foi
ao rochedo,
Mas, desviada pelo destino
(Olhar atento do pai)
Voltou ao seu curso normal.
Ah! vida linda!
Eu quero ficar por aqui.
Tantos sonhos ainda tenho
pra sonhar e viver,
Muitas letras pra ajuntar, e,
Só depois,
Bem depois...
Certamente,Irei perder pra ganhar...
Guardar meu sorriso
na caixinha de pandora
E daí...só daí
irei embora...
(Izabel Dias)
Publicado no Recanto das Letras em 02/06/2007Código do texto: T511380

sábado, 16 de junho de 2007

POEMA E POESIA



A arte de compor
é estranha...

Meus poemas
dormem na minha mente
e acordam na minha mão...

(Tadeu Paulo)


Seus poemas são pétalas de estrelas
lustrados com a ternura de teu coração,

Tocam a alma de cada ser
nos gritos calados de amor,
e no bailar de sonhos e magia...

(Izabel Dias)

domingo, 10 de junho de 2007

FURACÃO DE AMOR



Quando chegares,
não faças barulho.
Meus sonhos ainda dormem.
Vou deixá-los aqui,
nas nuvens onde estou.
Te levarei comigo,
no vôo à realidade.
Se acaso esbarrarmos
em nuvens carregadas,
faremos chover
"chuvas de letras”,
sua poesia, meu poema...
Deixe as asas na porta
do meu quarto,
Não te quero anjo aqui.
Sou louca, apaixonada,
um furacão de amor...
Não quero mais a prosa,
sou reverso do teu verso.
Meu cheiro é teu convite
ao puro êxtase do amor...
Estou à flor da pele...
Em seu toque sou desejo,
e te faço meu menino.
Serei apenas sua mulher...
Me derreto nos seus ais...
Viro luz entre os lençóis e,
num segundo, volto às nuvens,
a acordar os sonhos meus...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 25/05/2007 Código do texto: T501264

sexta-feira, 1 de junho de 2007

SAUDADES DE MIM...




Indefinível saudade!
Saudades do que não fui?
Ou do que não vivi?
Saudades do que não sei...
Sinto saudades de mim!
Perdi as asas ao caminhar.
Sozinha, no caminho sem destino,
sento e choro de saudades dos
anos que se foram e me deixaram aqui.
Dormi demais. A vida me sedou.
Sou mulher com vontades de menina.
Sai do prumo, estou sem rumo,
não sei para onde vou...
O espelho me diz que
está tudo bem.
Ele mente.
Vou quebrá-lo.
Superstição?
Quebrarei também.
Ninguém consegue me ver
além de mim...
Espero que ao menos
alguém possa me ler
nas entrelinhas, reticências,
aquém de mim...
Não sou poesia,
Nem poema.
Sou apenas alguém,
com saudades de si...



Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 20/05/2007
Código do texto: T494472

domingo, 20 de maio de 2007

E U, P I A N O



Faz tempo que te conheço,
desde os tempos de garoto;
sou seu primeiro amor,
e sei, sentias minha falta.

Suas mãos macias faceiras ,
ligeiras, insanas,
eu adoro sentí-las...
mesmo quando dizes
que me odeias;
eu me calo, aceito
e choro sangue
em seus dedos...

Eu sei o que vai
em seu coração...
porque te sinto
no emocionado som,
que me tiras,
em tantos tons,
em partituras
de amor e paixão.

Sou mais que amante,
Sou teu amor...
Encho-te de desejo
e retribuies em arpejos
que chegam ao Céu,
ao léu, no ar...

Hoje eu voltei...
Quero o seu abraço,
o seu amasso...
Num 'dolce' compasso
deste amor, bonito...

E aqui,
no nosso mundo
encantado,
Sou o seu eterno concerto...
Estou em você,
Você está em mim...
Sou o seu princípio e fim...
Sou seu Piano.

(Izabel Dias, 19/05/2007)


quinta-feira, 17 de maio de 2007

P O E S I A




Uma porta ficou semi-aberta...
e no grito de silêncio que
explodiu em meu peito,
Te encontrei...
Quebraram-se as barreiras.
Desnudaram-se as palavras...
Sentimentos livres e urgentes.
Quero gritar,
soltar as amarras.
Lágrimas ao vento,
tornam-se cristais de amor...
Sonhos perdido no tempo,
hoje voltam em palavras esquecidas
pelo anseio da vida por si mesma.
Preciso versar,
matizar nosso amor.
O Sonho acordou,
nas palavras,
no calor,
no momento,
no vento,
e com você,
Minha POESIA...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 17/05/2007
Código do texto: T490509

sábado, 12 de maio de 2007

MATER LUCES (Homenagem às Mães)












Mãezinha,


Não entendia o que se passava com você,
quando aconchegada eu estava
no cantinho de teu ventre.
Quisera mais espaço pra crescer, e
sempre te apertava mais um pouco;
Você, boazinha, deixava,
me acarinhava, e sua barriga ia esticando...
Achava graça quando eu te acordava
e pedia a minha comida desejada...
mas não entendia porque logo depois,
você jogava tudo na pia do banheiro.
Ouvia tua voz dizer que sentia dores
nas costas, sem saber que era eu,
que tanto te pesava...
Reviraste na cama sem dormir,
porque eu te incomodava,
mas no fundo, no fundo.... eu só queria
brincar, me esticar, e, sem querer,
tua barriga eu chutava toda contente!
O tempo passou tão rápido, e vi você
rir e chorar ao me ter em teus braços...
Ainda não sei, mãezinha,
onde era melhor morar;
se no calor do aconchego de teu ventre
ou na doçura e no embalo de teus braços...



Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 12/05/2007
Código do texto: T485109

VOCÊ, PERFUME...

orkut glitter graphics




Te fizeram da mesma essência
de outras flôres...

Mas teu perfume é singular,
pois tem a força das marés
e a leveza do flutuar.

Tem a medida exata,
que embriaga...
Por onde passas,
Teu aroma afaga,
inebria, contagia
encanta...
e extasia.

Absorvo-te n´alma
te guardo no peito.
Tu és sindrome
e essência de meu viver...

Transforma meu
mundo encantado;
desarruma e arranca
o desejo assanhado...
que acorda em mim...

Te pressinto
em meus sentimentos
e sentidos...
Sempre será chegada a hora
de dizer baixinho agora:
-- chega mais,
meu perfume favorito(!) ...

(Izabel Dias 11/05/2007)

terça-feira, 8 de maio de 2007

P U Z Z L E






No balanço da vida,
horas de contradições,
erros e acertos.
Me desmonto,
Me perco e
Me acho.
Sou um Puzzler.
Pedaços espalhados,
Fora de lugar.
Pontas sobrando,
Rugas também...
A mente observando...
Caos instaurado.
Coração na mão...
E o peito, por que dói?
Se aparar uma aresta,
Encaixa.
Encontro um lugar,
Mas o encaixe é falso.
Não posso aparar arestas.
Não sou de papel.
Sem mudar a arquitetura
Preciso do encaixe perfeito.
Faltam peças,
Faltam cores...
Já não estão mais aqui.
Vou procurar,
No céu, no mar, no ar...
Ou quem sabe,
em teu olhar...

(Izabel Dias 08/05/2007)


domingo, 6 de maio de 2007

P E D I D O





Preciso um pouco
de tua luz
que ilumina...
e mostra o caminho
por onde ir!
Um facho apenas,
e já te enxergo
até no infinito.

Preciso um pouco de tua paz,
clara como a noite de luar;
que me levará sem curvas
ao centro do seu coração.

Preciso viver
na tua lembrança,
aroma esperança,
cheiro de saudade;
te visualizar em sonho,
pra te encontrar no amor!

(Izabel Dias 06/05/2007)

terça-feira, 1 de maio de 2007

VÔO SEM ASAS



Se livre te deixo
Corto-lhe as asas,
Não voas.
Se prendo-te
Dou-lhe asas,
Não voas.
Sem asas
Não podes voar.
Sem espaço
Não sabes voar.
Nas asas da
Imaginação,
Você pode e
Sabe voar,
Vem?

(Izabel Dias)

domingo, 29 de abril de 2007

FOGO DA PAIXÃO




Meu corpo queima
em pleno inverno.
Não há fogo
nem fumaça,
Apenas, a adormecida brasa,
queimando mais
e mais que a
incandescente chama,
Pois é quente e contínua...
Espero o teu sopro
- finalmente-
para a brasa
o fogo gerar...
e meu amor incendiar,
no fogo da paixão,
que arde
em meu coração.
Venha soprar...
Venha, meu ar...
Me queime!
Deixe-me te amar...

(Izabel Dias 29/04/2007)

BEM-ME-QUER






Despetalei todas as flores
de tantas e cheirosas cores,
pra te encontrar e te ver,
no jogo do "Bem-me-Quer".

E na chuva fria, em minha face,
raiou, sem medo e difarce,
o meu Sol: surgiu você!

(Izabel Dias 2007 )-
)

ANJO MEDROSO



Sei voar,
Mas tenho medo
De cair,
Sem prévio aviso
No infinito
De seus olhos...
(Izabel Dias 18/03/2007)

T R I S T E Z A




Tem dias que a tristeza
vem dissimulada...
Pega carona na brisa suave,
Chega de mansinho...
Se encontrar uma fresta,
transforma-se...
Vira furação,
Arrebenta fechaduras
Escancara todas as portas...
A alma se vê nua
Com vontade de chorar,
Desamparada,
Solitária a soluçar...
A calma chega.
Os soluços diminuem,
Olhos inchados,
Cansados.
O sono corre prá ajudar,
Mas sinto frio,
Quisera um cobertor
Prá aquecer minh´alma;
Vou procurar no sonho.
Amanhã será outro dia,
Prometo não chorar...




Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 14/05/2007
Código do texto: T486466

MEU SONHO



Cansada, adormeço.
O sonho chega...
Estou perdida em labirintos,
Está escuro e tenho medo.
Como louca, eu grito...
Você chega...
Não te vejo
Mas te sinto.
Tua presença me acalma,
Teu calor aquece a alma!
Mesmo escuro,
Sei quem és
Nunca te vi,
Sempre te amei.
Uma vida a te esperar,
Em muitos lugares, fui te procurar
Busquei-te em cada alvorecer
Mergulhei em rios escuros
Sufoquei-me em prantos,
Como demorastes a chegar!
A noite se vai
O Sol traz a luz
Abro os olhos e te vejo
Não estou a sonhar
Sinto-te aqui
Em meu peito,
Amor, Você!

(Izabel Dias)

C O R A Ç Ã O




Sou vida pulsante
Amada e amante
No peito de quem
Mais e imensamente quero
Sou mistério a desvendar,
Quem aqui ousar entrar.
Sou do tamanho do mundo
Sem medidas nem fronteiras
Sou coração!
Tenho fome de amor
Tenho sede de justiça
Sou sentimento!
Faço-te rir e chorar
Sou palhaço,
Sou saudade...
Brigo com a razão
Porque quero não pensar
Sou emoção!
A jóia mais cara
Porque sou
Vida e paixão
Sou lembrança...
Sou coração...
(Izabel Dias)