domingo, 28 de outubro de 2007

DELÍRIOS...




Naquela noite,
o champanhe gelado
e as taças de cristal
eram meros figurantes
do brinde apaixonado
de um amor desejado.
A bebida doce e quente
se fez presente quando
nossas bocas se encontraram,
e, entre sonhos e sinos,
o amor consciente,
enlouqueceu e a
magia surgiu;
saciados os desejos,
tomamos mais um gole
dessa bebida
doce e embriagante,
que nem de taças precisa...

Izabel Dias
Publicado no Recanto das Letras em 28/10/2007
Código do texto: T713201

3 comentários:

tadeu paulo disse...

Bela figuração poética e configuração de vida e pensamento! Ah, que poema fantástico, bem te mostrando no teu brinde à felicidade, com a força da beleza de tuas palavras, combinando o maior e melhor amor com a mais fina e requintada das bebidas. Brinde ao teu trabalho; brinde à tua competência; brinde ao brilho de teu lirismo; brinde a ti e ao teu profundo bem-estar com a vida!
Parabéns poeta. Poucos saberão lidar com esse sentimento tão bem e de forma tão segura quanto você, que o faz brincando com as letrinhas, levadas muito a sério.
Poesia luxo! Lindíssima!
Beijos..

Hiran de Melo disse...

Quando se beija a mulher amada compartilha-se com ela mais do que o desejo de ser amado e de amar. Compartilha-se o sopro da vida. Respira-se o mesmo ar do terceiro incluído na relação: o amor.

Gosto do ser que se expressa em poesia, assim como você.

Izabel continue nesta brincadeira gostosa de ser poesia.

Tudo de bom.

John Vask disse...

Sua visita me deu a chance de conhecer um pouquinho de você que, modestamente, não se rotula "poeta" mas a forma como escreve e leva sua mensagem é inigualável. Parabéns!!!