sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

O AMOR...




Não marcou hora nem lugar,
simplesmente apareceu
como um mero acaso;
assim tão displicente,
querendo apenas aconchego
num coração desavisado,
e entrou sem cerimônia...
Passeia em meus pensamentos;
navega em minhas veias
e transpira em meus poros...
Depois me observa com
olhos de banquete e
sacia essa fome sem fim...
Vai até as esquinas da razão,
mas volta e se acomoda
esperando que o tempo passe
e leve-o consigo.
Ah! Amor, falo de ti sim...
O tempo sempre passa,
mas você não vai passar...

(Izabel Dias 09/02/2009)

2 comentários:

Renúncia disse...

Belo poema Isabel!Parabéns!
Sou amiga do orkut do nosso querido poeta Tadeu Paulo, amizade recente e
difícil de conseguir, pois não recebia meus recados, assim como vc, no cadeado. RS
Perguntei a Tadeu como escrever meus poemas sobre imagens, e ele pediu que eu te pedisse que me ensinasse como formatar meus poemas. É possível? Bjs, aguardo resposta!

MARIA NELLY disse...

IZABEL,
é com muita alegria que agradeço sua visita e incentivo ao meu blog.
Muito obrigada pelo elogio.

Seu blog está perfeito, lindo, suave...e as poesias belíssimas!
Virei sempre aqui, deliciar-me com
elas.
Recebe meu beijo e todo meu carinho